por Regina Maria Pereira Aust

TEÓLOGA ESPÍRITA

A profissão de Teólogo surgiu no meio cristão, através de filósofos que eram verdadeiros portadores oficiais da igreja, teóricos sobre Deus e a religião. Em conseqüência, a nível acadêmico, a cátedra de Teologia também surge ainda no medieval, nas Universidades Européias sobre a proteção da igreja católica. E só mais tarde, com o movimento protestante, passam a surgir outros teólogos desenvolvendo suas próprias idéias.

Tanto num caso como no outro, além de falar em nome de suas igrejas, representam pessoas que vão fazer a intermediação entre o homem e Deus. Especificamente o Teólogo Espírita difere totalmente desse modelo tradicional na sua formação. Para a Doutrina Espírita é o homem que procura e constrói o conhecimento, fazendo trânsito em todas disciplinas e o discurso espírita estará sustentado sempre na cogência deste tripé: Filosofia, Ciência e Religião.

O Teólogo Espírita é um estudioso humilde que vai abordar as grandes questões teológicas, Deus, o Universo, o Espírito e como conseqüência, a ação do homem. A característica teológica da Doutrina é o livre-arbítrio com a responsabilidade por suas escolhas e a eleição dos valores nas suas atitudes, sentimentos e pensamentos.

Como estudiosos, os Teólogos Espíritas vão fazer o conhecimento construído, tendo Deus como Criador de tudo que existe, Jesus padrão referencial da moral cristã, a reencarnação como oportunidade de aprendizado e a comunicação entre os dois polissistemas material e espiritual alcançando a superação.

O Teólogo deve ter em mente que vai trabalhar o conhecimento sempre a partir do subjetivo para o objetivo. O espírito, ser inteligente do Universo, evolui através de vivências e experiências e sua ação vai refletir seu entendimento.

Diferentemente de outros teólogos, o Teólogo Espírita não lhe confere status de sacerdote, pastor ou coisa parecida. Simplesmente muda o enfoque, para um estudioso da Doutrina Espírita, e que deve ter fundamentação e argumentação para responder a questionamentos, continuar estudando e pesquisando o verdadeiro princípio do Universo que é o Espiritual.

O papel do Teólogo foi mudando ao longo do tempo e hoje ele não é um especialista em Deus. É uma pessoa atuante, combatendo a injustiça e o preconceito, promovendo a solidariedade. Uma verdadeira teologia prática, agindo nas comunidades, passando pela ética e a caridade.

O Teólogo Espírita deve agir no social, promovendo a mudança de mentalidade provocando a transformação pela reflexão crítica, e também sensibilizar as pessoas ao sentido de pertencimento à humanidade e a irredutibilidade do ser, singular e único. Através da pedagogia do amor, da liberdade e da consciência proporcionar o alcance da parte, do todo e da totalidade. “A Doutrina ensina a pensar e não o que pensar.”

O teólogo será apenas um facilitador que fará constantemente reflexão sobre o sentido e o significado da vida e as questões éticas e morais. Fazendo revisão, criticando, construindo, será um estudioso do conhecimento espírita.

O Teólogo Espírita deverá sempre se posicionar humildemente, usando a razão, tendo imenso cuidado no tratar com as pessoas, pois estará na intimidade de seus sentimentos. E o que esperam deste Teólogo é um apoio, um suporte, principalmente um consolo, sabendo que enfrentará processos de dores e suas respostas tentarão dar sustentação espiritual para quem necessitar desta ajuda.

O homem é um ser social, como sujeito da sua história evolui na diversidade do outro. A Doutrina Espírita mostra a evolução através da transformação, pelo amor que é o fundamento da vida e pelo instrumento que é o conhecimento.

Anúncios